Maria, espelho de justiça!

O grande sinal no céu é um grande sinal de luz em si mesmo, mas também em seu conteúdo simbólico. As litanias lauretianas (ou ladainhas a de Nossa Senhora) chamam a atenção para este fcto quando nos exortam a rezar: "Speculum justitiae!" Espelho de justiça! O que está refletido nesta imagem? As glórias de Deus e as glórias da imagem de Cristo; as glórias da Igreja e as glórias da imagem do homem, tal como foram cunhadas e desejadas por Deus. "Speculum justitiae!"

Santo Tomás chama a Mãe de Deus simplesmente de "o livro de ouro do Senhor!"

Que livro é Ela? Um livro sobre Cristo. A Mãe de Deus, cuja glória e missão são encomendadas a Cristo, deve a Ele todas as glórias a que nos referimos. "Dei Genitrix!" "Mater Dei"! Toda a glória, toda a grandeza, todo o poder da imagem da amada Mãe de Deus indicam a grandeza do Senhor. Um livro sobre Cristo!

Mas ela também é um livro sobre a dignidade do homem. Sabemos que a Mãe de Deus é o ápice da humanidade. Na imagem do Abençoado entre todas as mulheres, Deus encarnou, em seus traços essenciais, sua ideia de homem. A Mãe de Deus, o grande Sinal, é também um livro sobre as glórias da Igreja. Ela não é apenas o membro mais distinto da Igreja, mas também a Mãe da Igreja, simbolizada desde um triplo ponto de vista: "Virgo", "Mater" e "Sponsa". É assim que a Mãe de Deus brilha diante de nós hoje. Verdadeiramente, o livro vivo do Senhor!

(Retirado da primeira conferência do “Dia de outubro de 1950”, 16 de outubro de 1950; editado como manuscrito para a Família de Schoenstatt por nossas Irmãs de Maria, Nuevo Schoenstatt, Argentina, pp. 33-35)