Maria, sinal de luz

E agora nos perguntamos: qual é a força fundamental que deve ser vitalizada este ano? Se nos atrevermos a consultar a lei da porta aberta, encontraremos a resposta. Deixe-me resumir o que provavelmente está vivendo em suas almas agora. Parece-me que, se nos deixarmos influenciar pelo grande sinal do céu, experimentamos que para nós é um grande sinal de luz, um sinal de prevenção, um sinal de esperança. Três pensamentos, três expressões com as quais podemos nos ocupar facilmente.

Um grande sinal de luz, um sinal de luz em si e um sinal de luz pelo seu conteúdo simbólico. Um sinal de luz em si! Posso repetir como a imagem da Mãe de Deus nos foi apresentada e delineada? Observa com o coração o panorama sombrio do tempo presente, e deixa-o brilhar, difundir, brilhar a luz, a plenitude da luz que irradia da pessoa da amada Mãe de Deus. Nós a vemos em sua posição como “Mater Dei” e “Mater nostra”. Deixem esta luz brilhar mais uma vez dentro de suas almas e recebam reflexivamente um raio após o outro.

"Immaculata!" - Quanta luz! // “Intemerata”! - Quanta luz! // “Virgo Virginum enlighten”! - Quanta luz! // "Dei Genitrix!" - Quanta luz! // "Assumpta!" - Quanta luz! // "Corredemptrix!" - Quanta luz! // "Regina!" - Quanta luz! // "Mediatrix" - Quanta luz!

Verdadeiramente, uma figura magnífica! Nós entendemos porque estamos deslumbrados com esta luz. Tudo o que sabemos sobre a Mãe de Deus se resume em uma tripla perspectiva: Maria é a mulher mais venerada, aquela que ocupa a posição mais elevada, a mais dotada do mundo. Um grande sinal de luz!

(Retirado da primeira conferência do “Dia de outubro de 1950”, 16 de outubro de 1950; editado como manuscrito para a Família de Schoenstatt pelas Irmãs de Maria, Nuevo Schoenstatt, Argentina, pp. 31-32)