Morada de Deus, feita de pedras vivas

“Vi a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu, que desde o lado de Deus estava adornada como uma noiva, adornada para o seu marido” (Ap. 21,2). Nós sabemos quem é a nova Jerusalém? É a Igreja. “E ouvi uma voz alta dizendo do seu trono: 'Esta é a morada de Deus com os homens. Ele fará morada entre eles e eles serão o seu povo e ele, o Deus com eles, será o seu Deu’ (Ap 21,3). 

A Igreja de Deus é apresentada a nós como um grande templo. A pedra angular é Cristo, os alicerces são os apóstolos e profetas e cada um de nós é uma pedra viva desse edifício. Às vezes o apóstolo São Paulo vai ainda mais longe, dizendo que cada um de nós é um santuário. Portanto, não apenas uma pedra viva, mas eu mesmo sou um templo de Deus. "Não sabeis que sois santuários do Senhor e que o Espírito de Deus habita em vós?" (1 Cor. 3,16).

Na realidade, não somos apenas templos do Espírito Santo aqui na terra, mas no final dos tempos seremos usados como pedras, como pedras vivas, para construir um novo templo, a nova Jerusalém no céu. É assim que o céu nos é apresentado como a nova Jerusalém, construída com pedras vivas. E cada um de nós terá que fazer uma pedra viva da nova Jerusalém.

Podemos nos empenhar profundamente para nos tornarmos cada vez mais pedras vivas para este maravilhoso templo, todos podemos nos unir cada vez mais, para que quando este templo temporário for construído como um templo eterno - como diz eloquentemente o Apocalipse - eles também contarão conosco como pedras vivas; que com nosso ser possamos colaborar na construção do templo.

(Retirado de "Mi corazón tu santuario", Editorial Schoenstatt, Santiago do Chile)