MARIA – RAINHA DAS VIRTUDES E UM POUCO MAIS

Estamos no mês de maio e, nesse tempo, a devoção à Maria nunca foi tão necessária – para não dizer, urgente. Nesse pequeno texto, lhes trago somente três títulos marianos que gostaria de aprofundar, dentre tantas qualidades enaltecidas em nossa querida Mãe de Deus, Maria Santíssima e Imaculada. Bom: Maria é a tesoureira de todas as graças, a onipotência suplicante e a Rainha de todas as virtudes.

Tesoureira porque é Ela quem media todas as graças que nos são dispensadas – Deus manifestou Seu desejo de ter Nela a maior e melhor intercessora. Para as grandes necessidades, mas também para as corriqueiras – nada escapa ao olhar de Deus e, aliás, nos lembremos sempre que o primeiro milagre de Jesus, por intercessão de Sua Mãe, foi a transformação de água em vinho e o auxílio a jovens casados; e não algo grandioso e distante de nossa realidade concreta.

Por sua vez, Maria é a onipotência suplicante que tudo pode, no que diz respeito à Sua súplica incessante. Evidentemente, a Graça dispensada vem de Deus, e sempre virá – a Igreja quando celebra Maria como onipotência não quer, com isso, dar mais poder à Ela do que reconhece em Deus Trino, seria absurdo pensarmos assim. Ocorre que a súplica de Maria é tão forte, e sempre tão profundamente ouvida por Seu Filho, que quis Deus tornar sua Mãe um caminho seguro de salvação. Jamais se conheceu alguém que recorreu à Maria e restou desamparado, nos lembra São Luiz Maria Grignon de Monfort.

E, por fim, Maria é a Rainha de todas as virtudes, como sabiamente nos lembra Santo Tomás de Aquino. Nela encontramos todas as virtudes humanas elevadas à perfeição. Maria encarna toda a santidade possível, é nosso refúgio mais seguro e também a grande Educadora de nosso caráter e personalidade, como nos lembra o Fundador. Em Maria podemos reconhecer todas qualidades humanas, virtudes, dons do Espírito Santo e grandezas, em grande evidência, mas como nos lembra Santo Afonso Maria de Ligório, a primeira virtude que se apresenta em Maria Santíssima é sempre a humildade e, a partir de um profundo reconhecimento de Sua pequenez, todas as demais virtudes podem ser compreendidas.

Que bonito, não?

Qual é a qualidade de Maria que você mais gosta? Qual você precisa exercitar mais? Já refletiu sobre isso?