SÃO JOSÉ

Estamos no mês de São José, no ano de São José, e hoje – dia 16, lançamos um episódio dedicado exclusivamente a ele.

Papa Francisco ao convocar o Ano São José por meio da Carta Apostólica Patris Corde (Com coração de Pai), faz referência aos 150 anos da declaração desse Glorioso Santo como Patrono da Igreja, feita em 08 de dezembro de 1870 pelo Beato Pio IX.

A convocação do Ano São José também acontece em um período conturbado: nunca antes, na História da Humanidade, a Igreja (com seu corpo, nós católicos) precisamos tanto do apoio e da intercessão do Castíssimo Esposo de Maria. Sempre passamos por grandes dilemas humanitários, mas a crise espiritual da cristandade nunca esteve tão evidente.
Embora seja arriscado observar as outras gerações com o nosso condão interpretativo, o que poderia nos conduzir a um anacronismo histórico, é certo que nos encontramos em uma virada paradigmática: ou nos tornamos, efetivamente, católicos – buscando as origens e fundamentos imutáveis de nossa fé, ou nadamos com a corrente revolucionária, o que nosso próprio Fundador rechaçava ao explicitar que Schoenstatt não tem lugar para revolucionários.

O que ele queria dizer com isso? 

Queria dizer Schoenstatt é filho da Igreja, porta como herança nossa Doutrina, Tradição e Magistério de maneira íntegra e sadiamente se constitui como um sopro do Espírito para os novos rumos da mesma. O que não significa revolução, mas profunda filiação à Igreja, ainda que – e especialmente com – nossa originalidade. Schoenstatt é um presente e São José é, também, nosso guardião.

José Kentenich também estimava seu onomástico São José. Muitíssimo, aliás. São José tem uma história bela em Schoenstatt, como patrono de nosso Santuário, como protetor de nossa Mãe, Maria Santíssima, como protetor também de nossas vocações e nossas famílias, seja material ou espiritualmente.

Que esse mês (e ano) seja uma oportunidade de estimar ainda mais a São José: conhece-lo mais e pedir sua intercessão para tudo o que nos é corrente em nossa vida: seja concretamente, com nossos projetos profissionais, familiares e a condução e proteção material de nossas famílias, seja também na guarda espiritual contra as mazelas e tentações que nos assolam.

Valei-nos ó São José! Schoenstatt, e nós todos, queremos estar sob sua proteção!