tempo

A nossa percepção acerca do tempo é muitíssimo relativa.

Para a física quântica até as realidades são relativizadas, podendo haver várias (e até mesmo infinitas) realidades, com seu tempo disforme e passível de alteração (uma hipótese não muito bem confirmada). Einstein já demonstrava que um pequeno espaço de tempo estudando uma matéria difícil é demorado, enquanto uma mísera hora ao lado de quem se ama passa muito rápido. Para a filosofia, especialmente para a metafísica, a existência da realidade é colocada em xeque, assim como o questionamento sobre a presença de ordem nessa realidade, seja pelo tempo e por uma Força Motriz, primeiro motor (que move todos os outros motores), por Alguém (assim mesmo, com letra maiúscula).

Fato é, também, que o tempo e sua percepção são diferentes para nós e para Deus, embora seja claro que ele passa, não é mesmo? O primeiro mês do ano já virou história, inclusive.

Santa Terezinha do Menino Jesus dizia que a vida é apenas um instante entre duas eternidades. O que seria isso?

Somos como que viajantes, não ao modo “viajantes do tempo e do espaço” (dos meus filmes nerd’s preferidos), mas viajamos como que retornando ao nosso lar eterno. Essa santa – a mais jovem entre todos os doutores da Igreja -, muito sabiamente disse que o mundo não é nosso porto de chegada, mas nosso barco que nos leva à Casa do Pai.

Estamos viajando e é a maneira com a qual vivo esse tempo (em algumas perspectivas, tão curto) que define como viverei por toda a eternidade. Temos uma única vida e esse breve instante, esse sopro de oportunidade, para glorificar a Deus e buscar estar com Ele por toda a eternidade. Santa Terezinha do Menino Jesus só teve 24 anos.

Em um mundo tão relativista como o nosso é quase um assombro salientar que nosso destino eterno depende ... de nós – que não atuamos sozinhos, evidentemente (isso seria uma heresia, aliás), mas em cooperação com a Graça de Deus, que quer viver em nós.

Mas sabe ... normalmente não temos tempo para ela. A ânsia por encontrar um culpado para nossos pecados é tentadora. Mas seria um grande mal dizer a vocês algo assim. Então lhes digo a verdade, convidando a uma reflexão de fim ou de início de mês (qual tempo apetece mais, deixo com vocês): como tenho experimentando o meu tempo?